quarta-feira, 20 de março de 2019

Just to say "Hi"

🌹 Oi, Pessoas!

Esses últimos dias tenho me sentido absurdamente triste e ainda que eu tente disfarçar e que a maioria das pessoas nem se dê conta, não posso enganar a mim mesma.

Estar triste e ainda fazer as coisas que você ama é um indicativo de que é apenas uma fase ruim que irá passar. Mas, quando você percebe que as coisas que você ama não te trazem mais a menor alegria, seu "pisca-alerta" precisa ser ligado.

Não adianta me jogar no trabalho ou cuidar da casa ou criar novas atividades para ocupar meu tempo... desde a morte da minha mãe estou irremediavelmente 'quebrada'. O falecimento do meu pai logo em seguida fez tudo parecer ainda pior.

Sim, eu sei que a vida continua e isso acontece com "todo mundo" e "todo mundo" sobrevive... mas, eu não quero sobreviver... eu quero viver (não preciso estar feliz mas pelo menos motivada).

Sofro muito quando percebo que nem meus amados filmes, livros e séries que serem foram os heróis que me tiravam de momentos difíceis, hoje já não me dão alegria. 😔

A terapia me ajuda no sentido de me fazer ver que é normal se sentir assim... porque foi uma grande perda e que cada um tem seu tempo para vivenciar o luto. Por outro lado, ele me disse uma coisa que fica ecoando em minha mente... "é difícil porque você perdeu um dos seus pilares 'você não é mais filha' e isso mexe com qualquer um..."

Como assim? 

Pois é... não uso mais as palavras "pai" e "mae"... Tem noção do quanto isso é louco? Não posso mais chamá-los, não posso mais ouvi-los, não posso...

Então,  é por isso que ando sumida. É por isso que não tenho escrito aqui ou no Instagram ... não tenho conseguido. Simples assim. Estou cansada de tentar parecer alegre em ambientes sociais porque isso é o que esperam de mim... e nas redes sociais, pelo menos, é bem mais fácil 'sumir por uns dias'. As pessoas perguntam por você via direct ou messenger mas ainda é uma cobrança mais suave do que a das pessoas ao seu redor.

Bom, era isso.💗

domingo, 25 de novembro de 2018

Comédias Românticas



🌹Oi, Pessoas!!

🎬 Saudades dessas três atrizes maravilhosas - Sandra Bullock, Meg Ryan e Julia Roberts. Essas divas dominaram o cenário das comédias românticas nos anos 90 e início dos anos 2000.

🌟Lindas, divertidas e excelentes atrizes. Cada uma a sua maneira. Inclusive, caro leitor, não sei se você percebe mas cada uma tem um biotipo diferente. Temos uma ruiva, uma morena e uma loira. Elas faziam sucesso por ter talento e não por ter o rosto igual ao da "fulana de tal". Até porque, pasmem, houve uma época em que ter o mesmo rosto não era garantia de sucessoo. Pelo contrário, você será apenas mais um do mesmo... Enfim... (perdoem o desabafo hahaha... lá vou eu divagando...)

🎬Alguém pode me dizer onde foram para as boas e velhas comédias românticas??? Sério... quando foi que as coisas se transformaram em 8 ou 80?

🌟Por quê os gêneros não podem coexistir? Você pode até tentar encontrar um filme nesse estilo nos catálogos por aí... talvez até encontre um ou dois... mas, se você tiver mais de 25 anos e for um cinéfilo desde sempre, provavelmente, você já terá visto tudo.

🎬 O pior é que não dá para entender o porquê desses filmes não estarem sendo produzidos. Público tem. Basta ver o sucesso arrebatador de "Para Todos os Garotos que Já Amei" na Netflix.


quarta-feira, 27 de junho de 2018

Projeto de Leitura - Casos e contos

Foto Autoral
do livro "Todos os Contos"
CLARICE LISPECTOR
_ O Triunfo _

Oi, Pessoas!!!

Tô muito animada! Tenho feito as escolhas certas de leitura. É sério. Resolvi ler, na sequência do meu projeto de leitura, um conto da Clarice e que conto maravilhoso. 

Comecei com "O Triunfo". O conto relata a história de uma mulher que acorda um determinado dia e percebe que seu companheiro se foi. Talvez você esteja pensando que o tema seja muito comum e já muito explorado. Mas me diga o que, no nosso cotidiano, não poderia ser transformado em poesia pela nossa diva Clarice?

A história se desenvolve através do despertar da personagem. Não apenas o físico mas também o emocional. Enquanto recria o despertar físico da personagem e toda a sua percepção do universo ao seu redor, Clarice nos apresenta memórias da relação que a mesma tinha com seu companheiro. 

Todo mundo que já viveu algum tipo de relação mais duradoura, sabe o quanto é difícil perceber o enorme vazio que a partida do companheiro deixa em todos os cômodos da casa e, principalmente, em nossas vidas. Isso acontece com a nossa personagem. 

Foto Autoral - Imagina ouvir algo assim do cara que tá contigo... 
Ao longo do dia, ela vai vivenciando todos os estágios de um término. Primeiro, percebe que acabou mesmo. Segundo, procura entender o porquê relembrando situações e discussões que viveram. Terceiro, toma consciência de que ele não voltará.  Quarto, começa a buscar alegrias no que sobrou de sua vida. Quinto, se percebe podendo existir sem o outro. E, por último mas não menos importante, se sentindo feliz, capaz de seguir em frente ela recobra a esperança de que "ele voltaria". 

Como assim? É sério isso? Pessoas, que nó que a Lady Lispector deu em mim... Já estava comemorando a vitória da personagem... e de repente... caímos em um redemoinho sem fim, girando sobre o mesmo lugar. Amei! Amei! Amei! 

Passada. Recomendo que leiam. Acho muito verdadeiro... já passei por isso. Por favor, tentem ler ouvindo a música do Nando Reis, "Eu e Ela", se encaixa com perfeição.


terça-feira, 26 de junho de 2018

Projeto de Leitura - Casos e Contos

Foto Autoral
Oi, Pessoas!!!

Bora falar de serial killers? Nossa, estou amando fazer essa leitura junto com vocês porque fico motivada a adiantar tudo que puder. Então, resolvi começar pelo capítulo 7, do livro Serial Killers - Anatomia do Mal. 

Gente, que livro! Não sei vocês mas eu amo saber mais sobre essas pessoas. O que as motiva a ser como são? Bom, esse capítulo se chama "Galeria do Mal - Dez Monstros Americanos" e já começa contando a historia de dois serial killers femininos. Sim, pessoas... as mulheres também estão nessas terríveis cenas de crime e, só para variar, dessa vez não são as vítimas.

O primeiro caso é o da Lydia Sherman e o segundo é o da Belle Gunness. Ambas são assassinas em série mas têm um modus operandi distinto. Ambas assassinaram familiares - maridos e filhos, sendo que a primeira se utilizava de veneno (arsênico) e a segunda variava entre envenenar (estricnina) e fatiar suas vítimas. As duas histórias se passaram no século XIX. 

Não sei o que pensar. Não sei porquê mas não consigo vê-las como simplesmente assassinas cruéis. Todo mundo que já leu bastante, ou viu filmes e séries de teor histórico, sabe como a participação de mulheres pode ser deturpada em muitas situações. 

Principalmente no caso da Lydia, acho que a história pode ser diferente... e, com isso, não estou criticando a pesquisa do autor mas os registros da época... entende?

O que vocês acham? Lydia matou seus próprios filhos. Entretanto, ela não tinha como alimentá-los. Estamos falando de meados do século XIX. Novamente, não consigo parar de pensar a respeito e não chego a conclusão alguma... rs. 
Bom, é isso... Ansiosa para continuar a leitura.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Projeto de Leitura - Casos e Contos

Oi, Pessoas!!!

Atualizando o meu perfil no Skoob, percebi que estou lendo fracionadamente alguns livros de Contos. Decidi então, elaborar um Projeto de Leitura para compartilhar com vocês todas as minhas impressões a respeito destes contos... Os livros envolvidos no projeto são de gêneros diversos o que é bem a minha cara... Vocês bem sabem o quanto sou eclética. Enfim, bora conhecer os livros? 


Foto Autoral

💗 Contos de Imaginação e Mistério, do Edgar Allan Poe - 22 contos

💗 Todos os Contos, da Clarice Lispector - 85 contos

💗 Contos de Fadas, Edição comentada e ilustrada - Clássicos da Zahar - 26 contos

💗 Contos Russos, Tomo I - 05 contos

💗 Contos Russos, Tomo II - 02 contos

💗 Contos Russos, Tomo III - 05 contos

💗 Serial Killers - Anatomia do Mal, de Harold Schechter - Capítulo 07 e 34 estudos de caso. 

Foto Autoral
Vou atualizar por aqui e pelo meu Instagram o avanço destas leituras. São todos muito interessantes e igualmente distintos. Gostaria de ter outras pessoas participando deste projeto para que pudéssemos trocar ideias. O objetivo é te inspirar a conhecer estas obras. 

Foto Autoral

O que mais amo na internet é o fato de podermos encontrar nossos pares. Falo de pessoas que apreciam o mesmo que nós. Aprendo muito com meus amigos literários e conheci vários autores através deles. Não podemos ter preconceitos de forma alguma, nem mesmo na leitura. Sempre há algo a aprender com gêneros e autores diversificados. 

Bom, é isso... espero te ver por aqui.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...