sexta-feira, 22 de junho de 2018

Resenha: A Parte que Falta - Shel Silverstein

Foto Autoral
Oi, Pessoas!!!

Como vão vocês?  Perdão pelo meu sumiço de mais de um ano. Sei que vocês entendem. Não quero me estender nas minúcias de minha ausência. 

Quero só dizer que tenho um novo amor... Bom, nem é tão novo pois já ando por lá desde 2016, mas... sim, tenho um novo amor além do bloguinho. 

Preciso falar que postei primeiro por lá a minha resenha deste livro. Não, não é uma traição. É só um novo caminho para falar do que tanto amo. Tá... bora logo falar do livro, né? 

Nem sei por onde começar. Que livro lindo!! 

🌹 Uma experiência ímpar sobre a nossa eterna busca por completude. Essa leitura é um encontro lindo e cheio de poesia. Te induzindo a inúmeras reflexões sobre si mesma e seu relacionamento com o outro. 


🌹 O livro levanta, de forma bem simples, questões interessantes sobre autoestima, escolhas, incompletude, persistência  e o impacto de tudo isso sobre a nossa vida. 

🌹 O livro é classificado como infantil e nem sei o que pensar a respeito disso. Achei ele tão profundo... talvez, a objetividade das crianças permita que elas tenham uma boa experiência com essa leitura. Sem mergulhar na complexidade de pensamentos reflexivos que o livro proporciona. 

🌹 Amei e super-recomendo! Ele tem no máximo 8 linhas por página. É lindo! O traço do artista é singelo, beirando o infantil, mas cheio de doçura e significado. 

domingo, 20 de agosto de 2017

Bora Brincar... 😍


Oi, Pessoas!!!

O Skoob propôs hoje no twitter que fizéssemos a brincadeira acima. Sempre gosto de fazer essa brincadeira da página porque sempre sai alguma coisa legal, sem sentido ou divertida. E, nesse caso, foi divertida. Não poderia ser diferente pois estou amando esse livro... 
Gente, paguei tão baratinho por ele... R$9,90... O livro é "Quebrada em Grande Estilo" da Jen Lancaster. 







sexta-feira, 21 de julho de 2017

Música da Semana

Aimee Mann

Oi, Pessoas!

A música de hoje é "Save Me", da Aimee Mann... essa diva da imagem acima. Esta música faz parte do álbum Magnólia, lançado em 1999. Se você não conhece a diva, sua voz ou suas produções, precisa reparar seu erro o quanto antes.  Ela é cantora e compositora mas também toca baixo e guitarra, se dedicando aos gêneros Rock, Folk, Pop Rock, Rock Alternativo, Country Rock , Nova Onda. Sim, ela é bem eclética  e eu gosto muito disso. 

Prudie
Suas belas canções estão sempre presentes nas trilhas sonoras de vários filmes. Save Me, por exemplo, faz parte da trilha sonora de O Clube de Leitura de Jane Austen. Nesse filme maravilhoso, que eu já comentei aqui no blog, esta música implementa as cenas da personagem Prudie e seus dilemas amorosos de forma ímpar.  

Por que eu amo essa música? Porque ela fala sobre amor, salvação e sobre como estamos sempre querendo que alguém nos salve. Acontece, e todos nós saberemos mais cedo ou mais tarde, que ninguém virá nos salvar. Esse papel só cabe a nós mesmos. Todos passamos por momentos difíceis, onde a solução parece distante ou não existir... de qualquer forma, precisaremos juntar nossos caquinhos e seguir por conta própria. 



"Like Peter Pan, or Superman
You will come to save me
Come on and save me
If you could save me
From the ranks of the freaks
Who suspect they could never love anyone"

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Filme: Um Crime de Mestre

Título Original: Fracture
Ano: 2007
Duração: 113min
Direção: Gregory Hoblit
País de Origem: EUA
Gênero: Drama, suspense, policial
Elenco: Anthony Hopkins, Ryan Gosling, Rosamund Pike, Billy Burfe, Cliff Curtis, Kate Clarke e outros



Oi, Pessoas!!!

Como vão vocês? Eu finalmente consigo respirar sem muito choro. Não tem sido fácil mas aos poucos vou conseguindo ler, acompanhar minhas séries e conferir alguns filmes. Confesso que não há entusiasmo mas há uma imensa vontade de seguir em frente ainda que não saiba como.

Bom, bora lá, comentar...

O filme conta a história de Ted Crawford interpretado pelo sempre maravilhoso Anthony Hopkins, que descobre a traição de sua esposa e decide assassina-la. Calma isso não é SPOILER. Essa informação é apenas uma coadjuvante no desenrolar do filme. O mote do filme é todo voltado para a forma como ele premedita esse crime e como será julgado pelo mesmo.



Nesse ponto, entra em cena o gatíssimo e sempre muito empenhado Ryan Gosling como Willy Beachum - Promotor Público responsável por acompanhar os fatos e promover a condenação do Sr. Crawford, uma vez que o mesmo confessou e todas as circunstâncias apontam para ele. O promotor está empolgado com o vislumbre de um novo emprego e com a possibilidade de resolver logo o caso para, assim,  se desvencilhar do cargo público que tão pouco rende financeiramente.


Acontece que o caso que parecia resolvido, se revela bem mais complexo e o Sr. Crawford bem mais astuto do que se mostrara. A partir daí, se desenrola todo o filme e vamos acompanhar maravilhosos embates psicológicos entre o Sr. Crawford e o jovem promotor. Se estabelece entre os dois um instigante jogo de egos. 

Vale muito a pena conferir. Eu mesma não descobri como ele fez o que fez... E, modéstia a parte, quase sempre descubro essas coisas afinal, são anos e anos  de leitura de  Agatha Christie e Sr. Conan Doyle.  Muito bom. Muito bom mesmo. Recomendo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...