sábado, 31 de dezembro de 2016

Adeus, 2016! Até NUNCA MAIS! 😥


Oi, Pessoas!!

Esse foi o pior ano de minha vida porque foi nele que perdi a minha mãe. É difícil pensar que nunca serei capaz de esquecer esse ano... mas prometo que vou fazer de tudo pra tentar deixá-lo para trás.


quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Minha Mãe, meu Amor...😍

Oi, Pessoas!😥😥😥

Hoje, eu quero falar de mim e do sangramento que vem sofrendo a minha alma desde o dia 22 de novembro - dia em que perdi a minha mãe.

Sei que não é  surpresa  para vocês a quantidade de vezes que a minha paixão por livros, filmes e séries me salvou de mim mesma e da dura realidade da vida.

Agora imaginem vocês que, neste momento de dor profunda, a minha válvula de escape, aquela que me mantinha tão firmemente amparada, me abandonou...

Estou triste, sozinha e desamparada. Tudo o que alegrava meus dias, não tem feito o menor sentido pra mim. Não consigo ler; não consigo ver minhas séries  (até The Walking Dead não me apetece) ... E o que mais me chocou foi que até mesmo o cinema, meu amado cinema, não acalentou meu coração, diminuiu o vazio ou sequer me distraiu dessa dor terrível que despedaçou minha alma e minha  esperança por dias melhores.

E assim, eu sangro. Sem minha mãe, minha melhor amiga, parece que nada sobrou. Olho a minha estante e meus livros que sempre foram para mim inspiração,  companhia e alegria, se parecem com estranhos. Estranhos que permanecem ali, inertes,  indiferentes à minha tristeza.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Melhores Momentos - Filmes



Oi, Pessoas!!!

Encontrei esse diálogo lindo do filme "O Curioso Caso de Benjamin Button na página Trechos Netflix no Instagram.

Não  só faz todo sentido quanto tem tudo a ver com o meu triste momento 😥

domingo, 18 de dezembro de 2016

Viciada em Séries- The Blacklist



Oi, Pessoas!!!

Ainda tentando reaprender a viver, comecei a assistir The Blacklist. Não posso dizer que foi paixão a primeira vista mas também não desgostei. O fato é que algo na história me incomoda. Tenho a sensacao de que a ideia já foi usada em uma outra historia e não consigo me lembrar onde... um filme, um livro ou a mistura de mais de um, de cada uma dessas mídias.

Ainda não consegui identificar mas estou tão triste que acho que isso tem dificultado até meu foco... Assisti a 5 episódios da primeira temporada e ainda estou processando meus sentimentos em relação a série.  Prometo voltar e fale um pouco mais... 😏

domingo, 11 de dezembro de 2016

Corrente de R.R.I.E.N.D.S 😍

🌸 CORRENTE DE FRIENDS (melhor série EVER! ) 

- Me deram: Phoebe

- Gosta: Meu personagem preferido.

- Trocaria: Não, porque amo além da conta. 

- Nível de beleza: Doidinha até o osso mas aí  reside seu charme.

- Personagem favorito: Phoebe e Joey empatados.

- Personagem mais bonito: Joey

- Personagem mais chato da série: A irmã  caçula da Rachel.

- Personagem mais chato dos 6: Não acho nenhum chato porem considero a Rachel um personagem bem fraquinho em relação aos demais...

- Personagem mais engraçado: Cada um a sua maneira têm seus momentos

- Casal preferido: Mônica e Chandler... acho linda a forma como eles se completam e fazem funcionar a relação em meio a tantas diferenças 😍😍

- Cena mais engraçada: Aquela em que Phoebe tenta ensinar francês ao Joey.

- Uma frase:  "Joey não divide comida." 

- Ross traiu Rachel?: Eu acho que ele não só traiu ela como a si mesmo. Ok, eles estavam separados... mas há quantas horas? Ross pisou feio na bola 🤔

Se quiser um personagem, comente Unagi

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Bora Brincar...



Oi, Pessoas!!!

Esta brincadeira eu encontrei na página do Skoob no Twitter... Achei legal e vou tentar fazer. Provavelmente não vão adivinhar porque não conheço muita gente que tenha lido esse livro. Na verdade, conheço apenas um. Hahaha... Bora lá, descrever...

# A história se passa em São Petersburgo, Rússia.
# O personagem principal não tem nome... 
# A maior parte das cenas são noturnas...
# A temática é amor não correspondido... suicídio...
# O personagem principal é uma delícia de criatura.  


sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Resenha: Dexter é Delicioso, Jeffrey Lindsay

A vida organizada de Dexter Morgan é desestabilizada pela chegada de sua primeira filha. Pela primeira vez ele sente que tem força suficiente para sufocar os desejos de seu Passageiro Sombrio, a voz que sempre sussurra dentro de sua cabeça, escolhendo novas vítimas e guiando Dexter em suas empreitadas perigosas. Ao mesmo tempo, ele é convocado para investigar o desaparecimento de uma menina de 17 anos, Samantha Aldovar, que faz parte de um grupo gótico em que os indivíduos se declaram vampiros. Conforme chega mais perto da verdade, com a ajuda de sua irmã Deborah, ele percebe que está lidando com algo muito mais sombrio do que um simples clube de adolescentes fãs de Crepúsculo... Os raptores de Samantha querem muito mais do que sangue? e estão especialmente interessados em Dexter. (Skoob)



ATENÇÃO!!! Esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores...👀 
.
.
.


Oi, Pessoas!!!

Hoje eu vou falar sobre o quinto livro da série de livros - Dexter. Depois de lê-lo 4x, finalmente me empolguei para fazer a resenha. Que livro maravilhoooooso! Sei que protelei bastante e não tem desculpa que justifique essa demora. Enfim, bora lá comentar.

O livro narra o nascimento da primeira filha de Dexter - Lilly Anne. Nada pode te preparar para todo o riso que Dexter em seu papel de pai devotado vai te extrair.

Dexter está decidido a abandonar suas práticas noturnas com o Passageiro das Sombras e mergulhar sem reservas nas delícias que a paternidade oferece.

Nosso bom e velho Dexter está encantado com as emoções que a doce e delicada Lilly vem despertando nele. Este mundo novo e surpreendente tem gerado reflexões e atitudes impensáveis para o antigo Dex. Assim, de forma mais sarcástica, divertida e espirituosa que nunca, Dex nos relata sua nova rotina. 

Acontece que nada na vida de Dex pode ser simples. Por isso, ao mesmo tempo em que aprende a ser pai, ele precisa lidar com as necessidades dos seus irmãos. Sim, eu disse IRMÃOS. Brian está de volta. Frequentando seu lar e insistindo em se fazer presente. O que ele planeja com isso? 

Por outro lado, Debbie precisa de ajuda para lidar com seu relógio biológico e para desvendar o mistério que envolve o desaparecimento de duas adolescentes envolvidas com uma seita vampiresca. 

É, meu povo, não tá fácil para ninguém. 
Como será que o nosso amado Dex se saiu com todas essas questões? Será que ele vai conseguir abandonar o Passageiro das Sombras?

O que posso dizer? O Jeff Lindsay mais uma vez se superou.O livro é leve, divertido, uma produção de muita fluidez e coerência que proporciona ao leitor um momento de grande relaxamento e prazer.

Recomendo demais!
Preparem-se, um novo integrante está chegando para a família Morgan. 😮 


Nos links abaixo, você pode conferir as demais resenhas...



Dexter no Escuro - vol 03



domingo, 9 de outubro de 2016

domingo, 2 de outubro de 2016

Poesia - Ausência, de Jorge Luís Borges


Ausência
Jorge Luís Borges 

"Eu haverei de erguer a vasta vida
que ainda é o teu espelho:
cada manhã hei-de reconstruí-la.
Desde que te afastaste,
quantos lugares se tornaram vãos
e sem sentido, iguais
a luzes acesas de dia.
Tardes que te abrigaram a imagem,
música em que sempre me esperavas,
palavras desse tempo,
terei de as destruir com as minhas mãos.
Em que ribanceira esconderei a alma
pra que não veja a tua ausência,
que como um sol terrível, sem ocaso,
brilha definitiva e sem piedade?
A tua ausência cerca-me
como a corda à garganta.
O mar ao que se afunda."

Jorge luís borges - Obra Completas 1923-1949 vol. 1
Fervor de Buenos Aires (1923)
Trad. Fernando Pinto do Amaral
Editorial teorema - 1998
😢

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Resenha: The Walking Dead - Declínio - Volume 05 - Jay Bonansinga

DeclínioRenascida das cinzas de seu passado sombrio, Woodbury se torna um oásis de tranquilidade em meio à praga dos errantes. Mas, após o chocante fim do ex-tirano Phillip Blake, o Governador, Lilly Caul e seu grupo de sobreviventes deverão superar seu passado traumático. E, como sabemos, os mortos-vivos são o menor dos problemas para os habitantes desse inóspito universo.(Skoob)


Oi, Pessoas!!

Protelei bastante mas já não posso evitar e hoje vou escrever o que eu achei do quinto livro da série The Walking Dead - Declínio. Já adianto que não gostei e esse foi o principal motivo de ter protelado tanto a escrita dessa resenha. 

Então, bora lá comentar. 

Este foi o primeiro volume escrito somente pelo Jay Bonansinga. Sobre isso não tenho queixas. A escrita não é ruim. Ela apenas segue a linha "Bora fazer dinheiro com a franquia a qualquer custo", do mestre Robert Kirkman. O que isso significa?   Significa arrastar a escrita o máximo possível para render outros volumes, ainda que isso sacrifique a fluidez da história e a paciência do leitor.  

Se já era possível ver esse tipo de manejo financeiro nos livros anteriores, neste ficou mais que evidente. Sabe aquela sucessão de fatores que acarretarão uma nova e poderosa cena que nem sempre está explícita e que gera todo um suspense e uma ponte fantástica para o transcorrer da história?  Aquela em que você suspira de alegria e contentamento por ter adivinhado o que aconteceria antes mesmo de ser revelado pelo autor? Pois é... Neste livro, existem 3 momentos assim. Mas, INFELIZMENTE, são três momentos em que a alegria e o suspense se perdem porque a enrolação é grande e quando o personagem finalmente conta o que é VOCÊ E TODA A TORCIDA DO FLAMENGO já sabiam o resultado. Isso causa frustração e raiva. É mais ou menos como quando a gente vai espirrar e alguém corta o nosso espirro... Entende?   
Não bastasse a trágica forma de conduzir a escrita, a história é bem fraquinha. É sério. Concentrada em uma Woodbury pós-Governador, a história foca na administração da cidade pela já conhecida personagem Lilly Caul em parceria com o também conhecido Bob Stookey (ainda vivo nos livros) e alguns remanescentes da comunidade. Um arrastar sem fim sobre questões já bastante exploradas de busca por alimentos e combustíveis, com pouco ou quase nenhum aprofundamento em questões emocionais e de comportamento humano que sempre são mais interessantes para mim. 

Tivemos a introdução de alguns novos personagens como a família Dupree, cuja a participação eu esperava que fosse ser espetacular e essencial para o desenrolar da história, diante de toda a insinuação que foi sugerida pelo autor no decorrer da trama e que se mostrou totalmente falha. Isto é outra coisa desonrosa de ser feita por um autor – criar uma expectativa que não se concretize e que não passava de mais uma forma de enrolação. A família formada por pai, mãe e três filhos – teve seus componentes pouco apresentados. Sinceramente, apenas o personagem Tommy (filho mais velho) foi um pouco melhor construído, restando para os demais, cenas pouco esclarecidas ou muitíssimo forçadas. 

Também foi introduzida à história, o restante de uma congregação religiosa liderada pelo Reverendo Jeremiah James Garlitz e mais 15 pessoas. Sinceramente? Decepcionante. O cara poderia ter sido uma excelente aquisição ao enredo mas não passou de mais um personagem deslocado pelo pouco aprofundamento que o autor lhe dedicou. O reverendo parecia mais um clichê mal aproveitado, um Jim Jones da vida, ou seja, pastor charmoso, megalomaníaco, suicida/homicida. Seu pai era um clérigo do exército que disciplinava ao filho e subordinados com um bastão de baseball que chamava de PORRETE de BELÉM.  Opa, será que isso significa que o Jeremiah que também gosta de matar zumbis com uma cruz de madeira, seria o Negan, nosso velho conhecido dos quadrinhos e série de tv? 

Gostaria muito de te dar algum parecer sobre isso, mas a verdade é que as informações fornecidas pelo livro não nos permitem chegar a nenhuma conclusão. Tá se sentindo frustrado? Imagine eu, que tive que ler todas aquelas páginas de nada absoluto. 

Não gosto de ser agressiva nas críticas mas NOVAMENTE, a franquia me surpreende NEGATIVAMENTE. Isso acaba comigo. Para não dizer que o livro todo foi perdido, a descoberta das galerias subterrâneas foi uma sacada maravilhosa e estupidamente desperdiçada. Alguém aí duvida, que caminhar pelos subterrâneos seria SENSACIONAL para fugir das ruas infestadas de zumbis? Pois é... 

Bom, é isso. Não recomendo a leitura de forma alguma. Não acrescenta nada de empolgante ou novo ao universo zumbi, a escrita não flui, os personagens não têm profundidade, a história é fraca e bzzzzzzzzzzzzz...     😪 Não posso deixar de mencionar a melhor citação do livro que, por sinal, não é do Jay... é o personagem Calvin citando um outro autor que não foi identificado. 

"Não há ateus nas trincheiras."


quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Trecho de Hoje

"Ah se pudéssemos, não sentiríamos mais nenhuma frustração... Mas isso equivaleria que não estaríamos mais dispostos a viver mais nada, não é mesmo? Então, que venham as danadas! Uma de cada vez, por favor, que sou forte, mas não sou duas..." 
(Das crônicas de Martha Medeiros)
😙😁 😕😒🌸💮🌹✌

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Saudações Vulcanas \\// 2016


    As Pontes de Madison - 1995

'Para atravessar agosto ter um amor seria importante, mas se você não conseguiu, se a vida não deu, ou ele partiu - sem o menor pudor, invente um. Remoto ou acessível, que você possa pensar nesse amor nas noites de agosto, viajar por ilhas do Pacífico Sul, Grécia, Cancún ou Miami, ao gosto do freguês. Que se possa sonhar, isso é que conta, com mãos dadas, suspiros, juras, projetos, abraços no convés à lua cheia, brilhos na costa ao longe. E beijos, muitos. Bem molhados. Não lembrar dos que se foram, não desejar o que não se tem e talvez nem se terá, não discutir, nem vingar-se, e temperar tudo isso com chás, de preferência ingleses, cristais de gengibre, gotas de codeína, se a barra pesar, vinhos, conhaques - tudo isso ajuda a atravessar agosto.'. - Caio Fernando Abreu 

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Lista de Desejos 2016






1. As Pequenas Virtudes - Natalia Ginzburg
2. A Noite Devorou o Mundo - Pit Agarmen
3. Livre - Cheryl Strayed
4. O Planeta dos Macacos - Pierre Boulle
5. No Mar - Toine Heijmans
6. Macbeth - William Shakespeare
7. Ruído Branco - Don DeLillo
8. O livro das Coisas Perdidas - John Connolly
9. Primeiro Amor - Ivan Turgueniev
10. O Frágil Toque dos Mutilados - Alex Sens

Oi, Pessoas!!!

Tinha desistido de lista de desejos... tinha desistido de marcar os lidos, os desejados no skoob... mas resolvi fazer esse post. Não, eu não tô nada bem. Mas é preciso continuar, não é verdade? E assim, eu sigo. Apesar de tudo, até que tenho conseguido ler mas não tenho tido ânimo para resenhar. Por favor, me perdoem por isso. Espero voltar em breve falando sobre os nossos amores... bjo 

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Dia do Amigo...♥ ♡ ❤

F. R. I. E. N. D. S.  



"Meus amigos são todos assim: Metade loucura, outra metade santidade. Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choro piedoso. Quero amigos sérios... daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos, nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças para que não esqueçam o valor do vento no rosto e velhos para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos... Nunca me esquecerei de que a "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."

Fernando Pessoa 

sexta-feira, 24 de junho de 2016

´Música da Semana 2016 #12



Oi, Pessoas!!!!

Não sei vocês mas eu tô enlouquecendo com a Sexta Temporada de Game of Thrones. Sempre fui apaixonada por Tyrion, Jamie, Jacqen Hagar, Arya e Daenerys mas a série em si, nunca encheu meus olhos por causa do seu jeito apelativo de ser em vários momentos... MAAAAAAAS, puxa vida, o que é essa temporada?

Se você ainda não percebeu... 
" O inverno está chegando..."  



Portanto, em homenagem ao bom andamento da série, essa semana a música é o tema principal MAGNIFICAMENTE bem executado de forma acústica pela minha banda preferida Boyce Avenue. Se joguem nessa delícia e abracem a sensação de estar em Westeros porque é assim que me sinto. 

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Filme: Ensaio Sobre a Cegueira

Título Original: Blindness
Ano: 2008 
Duração: 121 min
Direção: Fernando Meirelles
Roteiro: Don McKellar e José Saramago
Gênero: Drama, Suspense
Elenco: Julianne Moore, Mark Ruffalo, Danny Glover, Alice Braga, Gael Garcia Bernal, Mitchell Nye, Sandra Oh, Yusuke Iseya, Yoshino Kimura, Don Mckellar, ... 




Oi, Pessoas!!!

O filme de hoje é baseado no livro de mesmo nome do mais que maravilhoso José Saramago. De cara já avisei sobre possíveis spoilers. Sim, sei que é chato e não gosto de fazer isso mas, acredite em mim, nada do que eu disser vai tirar de você a surpresa de assistir ao filme e vivenciar a experiência por si mesmo. Pode ter certeza! 




Chega de conversa e bora lá, comentar... 

Então, primeiro quero te alertar para o fato de que os personagens do filme e bem como do livro não possuem nomes próprios, eles são identificados por sua função no filme. São eles: O médico, a esposa do médico, o primeiro cego, a esposa do primeiro cego, o menino estrábico, a garota com óculos escuros, o velho com o tapa-olho, o ladrão, o vigilante, o cego de nascença ou contador e por aí, vai... entendido?

O Primeiro homem cego
A história começa com um carro parado em um semáforo. De repente, várias pessoas buzinando e o carro não sai do lugar. Logo somos inteirados de que o motorista está cego. Desesperado ele pede ajuda. Algumas pessoas se aproximam do carro e uma delas se oferece para dirigir seu carro e levá-lo pra casa. 

Enquanto pede informações sobre como é a sua cegueira e endereço, o cara que dirige planeja roubar o primeiro cego (Yusuke Iseya). Acredita nisso? Diante de uma situação de desespero e fragilidade, há pessoas que pensam em levar vantagem. Mas olha, essa é a primeira mas não será a única situação a te causar choque ou indignação, prepare-se. O filme parece um ringue de boxe e a gente leva um soco atrás do outro. Seja forte e prossiga porque vale muito a pena. 

O ladrão (Dan McKellar) deixa o primeiro cego em casa e foge com o carro. A esposa do primeiro cego (Yoshino) chega e providencia rapidamente uma consulta com especialista que seria - o médico (Mark Ruffalo). No consultório do médico estavam o menino estrábico com a mãe, a garota de óculos escuros (Alice Braga), o velho com o tapa-olho (Danny Glover) e a atendente do consultório.  



A consulta do primeiro cego não resulta em solução alguma. O médico alega que não conhece relatos de cegueira 'branca'. Em casa, o médico comenta com sua esposa sobre esse caso intrigante que surgiu em seu consultório. Durante a conversa é possível perceber que o casal tem uma cumplicidade típica de casais que se conhecem bem e há bastante tempo. Na manhã seguinte a surpresa - o médico também está cego. O médico liga para amigos especialistas, relata o acontecido e alerta para o fato de que, seja lá o que for essa doença, é altamente contagiosa. Ele é então, encaminhado a uma unidade de isolamento do governo, onde ficaria sob quarentena. Mas ele não vai só, sua esposa vai junto. O mesmo acontece com todos os demais cegos que tiveram contato com o primeiro cego, ou seja, todos os pacientes do médico.   



A esposa do médico conta para o médico que a unidade de isolamento nada mais é do que um antigo sanatório, vigiado por militares. O lugar é dividido em três alas, tendo algumas áreas em comum como banheiros e refeitório. Logo vão chegando mais e mais cegos. A primeira ala é a do médico, seus pacientes e mais alguns cegos, inclusive o ladrão. O ladrão é um cara abusado e impertinente. Adivinhem só, termina sendo ferido pela garota de óculos escuros quando tentou apalpá-la. O ferimento é grave e não há primeiros socorros, nem mesmo após a solicitação do médico. 

As pessoas continuam chegando e a esposa do médico tenta de todas as formas manter a organização e higiene do lugar, bem como a divisão da comida. É incrível como as instalações vão ficando sujas e desorganizadas. Fica explícito o processo de degradação do ser humano. O que constatamos é mais ou menos a máxima - "o que os olhos não vêem o coração não sente". As pessoas perdem a vaidade, não se cuidam, a higiene pessoal é a primeira a desaparecer, chegando ao ponto de andarem nus.  A aparência das pessoas vai se transformando juntamente com as condições do local.  


Nesse ponto as três alas já estão lotadas. A comida é insuficiente e o medo do contágio já é tão grande que os militares atiram ao menor sinal de aproximação ou descumprimento das ordens. E foi isso que fizeram com três cegos recém-chegados à unidade.

Enquanto isso a perna do ladrão infecciona e pelo seu estado é possível imaginar a dor que ele está sentindo. Ele sabe que a esposa do médico enxerga e afirma isso pra ela. Consumido pela dor, o ladrão decide sair das instalações e se aproximar dos militares porque sabia que assim teria fim sua agonia. Assim foi feito. 

Em determinado momento, durante a distribuição da comida, a terceira ala, composta em sua maioria por homens, se rebela e mostra mais uma desagradável faceta do ser humano - a ganância. Em seu meio existe um cego de nascença que também é um contador, um verdadeiro bandido - até arma ele possui. Assim, liderados pelo Vigilante (Gael) que se intitulou o Rei da ala 3, eles decidem monopolizar a comida recebida que só seria distribuída entre as outras mediante a entrega dos seus pertences de valor. 



Você pensa que para por aí? Nãããão! A degradação não tem fim. Exploração sexual, abuso de poder, sacrifício, espancamentos, mortes, traição, racismo, machismo, todos os 'ismos' terríveis que possam envolver as relações humanas são abordados de forma profunda nesse filme. Adoro as discussões levantadas e os argumentos apresentados. Ah, a esposa do médico é um personagem ímpar... não tem como não amar. E a esposa do primeiro cego age como eu agiria (tenho quase certeza disso). Encontre você na história - não vale ser a única que enxerga hahaha 

"Não se sabe se a cegueira espalhou o pânico ou se o pânico espalhou a cegueira."

O filme tem uma fotografia belíssima, trágica mas bela. A névoa da cegueira branca mesmo é uma coisa linda. A trilha sonora em sua maioria instrumental parece um choro... um lamento da alma. As atuações são maravilhosas e tem algumas cenas que não posso deixar de mencionar.



Tenho duas dentre as quais não consigo escolher e por isso seguem empatadas em melhor cena. São elas: a cena do Danny Glover com o 'radinho' de pilha e a música tocando... coisa mais linda ever! Todo mundo em silêncio absortos em seus pensamentos; alguns choram, outros se balançam e o menino estrábico mexendo os pezinhos no ritmo da música... simplesmente LINDO! A outra cena é a do banho de chuva das meninas ... quanta simbologia! A água que tudo limpa... que purifica... que talvez levasse embora todas as marcas daquela experiência terrível. 



Em segundo lugar o banho do 'peixe morto'... Gente, eu chorei muito nessa cena. Aquele silêncio ENSURDECEDOR... a vergonha dos maridos... a ternura das meninas na limpeza do 'peixe morto'... Fico toda arrepiada só de lembrar.

O que mais eu posso dizer? Hum... se jogue. Assista. Confira. É sofrida mas é uma experiência totalmente válida que marcará sua vida de cinéfilo. Você passará alguns dias reflexivo, se sentindo meio estranho porque a gente sempre se surpreende com a natureza humana desnuda.

Enfim... é isso. =D                     
        

terça-feira, 21 de junho de 2016

Poesia - Castelã de Tristeza - Florbela Espanca



Castelã de Tristeza - Livro de Mágoas
Florbela Espanca 

Altiva e couraçada de desdém,
Vivo sòzinha em meu castelo: a Dor!
Passa por ele a luz de todo o amor…
E nunca em meu castelo entrou alguém!

Castelã da Tristeza, vês?…A quem?…
-E o meu olhar é interrogador-
Perscruto, ao longe, as sombras do sol-pôr…
Chora o silêncio…nada…ninguém vem…

Castelã da Tristeza, porque choras
Lendo, toda de branco, um livro de horas,
À sombra rendilhada dos vitrais?…

À noite, debruçada, plas ameias,
Porque rezas baixinho?…Porque anseias?…
Que sonho afagam tuas mãos reais?…

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Saudações Vulcanas \\// 2016 - Homenagens Google

45º Aniversário da transmissão de El Chavo del Ocho

Oi, Pessoas!!!

Já tem um tempão que eu pensava em falar sobre isso mas acho que nenhum dia teria sido melhor que hoje. Coisa mais linda e valorosa são essas homenagens que o Google faz a pessoas ou projetos que de alguma forma marcaram nossas vidas. Hoje, eles estão comemorando os 45° ano de exibição do Chaves... não é lindo? Como isso me deixa feliz! Por um mundo com mais esforços nesse sentido - valorizar quem tem valor. Mostrar que nem tudo nesse mundo estranho é ruim. Há muita alegria e muito amor que precisam ser divulgados. 
Por tudo isso, muito OBRIGADA, Google!!! 

Filme: Antes que Termine o Dia

Título Original: If Only
Ano: 2004
Duração: 92 min
Direção: Gil Junger
Gênero: Romance, Drama
Elenco: Jennifer Love Hewitt, Paul Nicholls, Tom Wilkinson, Lucy Davenport, ...



Oi, Pessoas!!!

Nem sei dizer quantas vezes vi esse filme. É muito muito muito lindo. Um  retrato fiel das dificuldades que temos para equilibrar o amar e o demonstrar que se ama. Não seria essa a maior complexidade do amor? A maioria dos atritos nos relacionamentos não se dá em função dos ruídos na comunicação?  



Bora lá, comentar... 

O filme conta a história de amor de Samantha e Ian. Samantha é norte americana e está na Inglaterra estudando música no melhor conservatório de Londres. Ela vive já há algum tempo com Ian que trabalha com investimentos. 

A relação dos dois é, como tantas outras, cheia de falhas de comunicação. Ian é distante e pouco demonstra seus sentimentos. Samantha se ressente disso e claramente 'já entregou a toalha'. Podemos observar nitidamente que ela está cansada de pedir mais atenção e ele, por sua vez, acha que nunca faz o bastante e se sente incapaz de fazê-la feliz.  



Hoje é um dia importante para Sam, ela está se formando no conservatório de música após três longos anos de estudo e dedicação. Infelizmente, Ian esqueceu disso e fez outros planos para o casal. Samantha mais uma vez se entristece ao perceber que nenhum acontecimento seu é importante o suficiente para que seja prioridade na vida de Ian. Ele não valoriza seu trabalho, seus alunos, sua música ou sua família. Após a formatura, Sam irá visitar a sua família e tudo que ela deseja é que Ian a acompanhe e seja, finalmente, apresentado aos seus familiares. Acontece que Ian rejeita a proposta preferindo se dedicar ao seu trabalho.    



Não entenda mal, Ian não é um cara ruim. Ele apenas age de forma egoísta colocando sempre suas necessidades em primeiro plano. Obviamente, isso evidencia que ele não sabe amar. Amar é equilibrar as suas necessidades e as do seu companheiro para que a relação evolua de forma satisfatória e harmoniosa para ambos. 


Não entrarei nos pormenores do filme porque não quero estragar a experiência de vocês. Mas posso adiantar que algo acontece no decorrer desse dia. Um dia que seria decisivo para eles, com a formatura de Samantha e a grande reunião de investimentos de Ian - suas carreiras profissionais e vidas se definiriam a partir dali. Mas para Ian tudo muda. Ele se vê constantemente questionado sobre suas escolhas e seu proceder diante delas. É lindo ver o amadurecimento dele, o seu esforço para se tornar uma pessoa melhor e demonstrar para Sam que ele pode ser o cara que ela sempre sonhou. 



Por outro lado, é difícil não se emocionar com a carinha surpresa e absurdamente feliz de Samantha a cada gesto desse Ian encantador que ela sempre soube que existia. O Ian que é tão fácil de amar... 

As atuações são incríveis, a fotografia é linda... e tudo é regado a muita chuva, neblina e uma trilha sonora sensacional!!! Bom é isso, recomendo muuuuuuuuuuuuuuuito! Pegue seu lencinho porque viverá muitas emoções mas terá, ao término do filme, aquela sensação incrível de conforto que só o amor pode trazer.   
  

domingo, 19 de junho de 2016

Melhores Momentos - Séries de Tv

The Big Bang Theory
Quarta Temporada - Episódio 2


Penny - Como está sua vida?

Amy - Como a de todo mundo. Sujeita a entropia, decadência e a morte derradeira. Obrigada por perguntar. 

sábado, 18 de junho de 2016

Filme: A Vida Secreta de Walter Mitty

Título Original: The Secret Life of Walter Mitty
Ano: 2013
Duração: 114 min
Direção: Ben Stiller
Gênero: Comédia, Drama
Elenco: Ben Stiller, Adam Scott, Sean Penn, Kristen Wiigs... 





Oi, Pessoas!!!

O filme de hoje é A Vida Secreta de Walter Mitty. Já tinha um tempão que eu queria assistir a esse filme mas confesso que estava meio desestimulada pelas avaliações nada positivas de alguns amigos. Porém, não pensei duas vezes quando um amigo querido me chamou pra conferi-lo. 


Então, bora lá, comentar? 

O filme conta a história de Walter Mitty. Walter trabalha como chefe da seção de negativos de uma grande revista há mais de 15 anos. Walter é o que se pode chamar de um espírito livre preso em um cara absurdamente tímido. Talvez, timidez nem seja a palavra. Acho que insegurança casa melhor com o perfil do Walter. Sabe aquela insegurança que paralisa? Então. Ele é um cara inteligente e descolado que em algum momento da vida se viu preso em uma história de vida que não se parece em nada com a que ele havia planejado para si.


O mais triste é que Walter é tão consciente disso que, em determinados momentos de grande tensão, ele se refugia em sua própria imaginação e faz no imaginário o que não tem coragem de fazer na vida real. Nesses momentos, ele fica numa espécie de transe que no filme é chamado de "apagões". Confesso que não tive paciência para alguns deles que foram exageradamente longos, quebrando o ritmo do filme e pouco acrescentando a história. 

Mas, às vezes, a própria vida se encarrega de te pôr de volta nos trilhos dos quais te tirou. É o que acontece com o Walter. A revista foi comprada por um grupo que quer redirecioná-la para outros fins fazendo da publicação do mês, sua última edição. Para tanto, esperam com ansiedade a publicação das fotos enviadas pelo seu fotógrafo mais famoso - Sean O'connel.  Acontece que o negativo dessa foto, a de número 25 que foi escolhida pelo próprio Sean, está desaparecido. Walter que nunca perdeu um negativo, de repente não consegue localizar justo esse... o último. Para completar seu novo chefe implica com seus apagões e cobra incessantemente o negativo. 


Walter, parte em busca desse negativo, percorrendo os caminhos por onde Sean passou nas demais fotos que pertencem ao rolo de negativos. Essas fotos são seu norte e ele contará ainda com a ajuda do colega de seção, da moça pela qual ele é apaixonado e de várias outras pessoas que vai encontrando durante a sua jornada. O mais legal é ver que a busca pelo negativo se transformou em um reencontro consigo mesmo. 



O filme é uma grande reflexão sobre nossas escolhas e sobre como deixamos morrer nossos sonhos e, muitas vezes, a pessoa que somos. Por outro lado, mostra que sempre é possível resgatar a si mesmo uma vez que toda mudança no nosso destino só depende de nós.

Resumindo - é fantasioso, cheeeeeeio de metáforas, engraçado, meio exagerado mas também é bastante reflexivo e tenho certeza que todo mundo que já passou dos 3O, vai se reconhecer de alguma forma.         

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Melhores Momentos - Séries de Tv - Breaking Bad ♥ ♡


 Oi, Pessoas!!!

Ainda não consigo escrever sobre Breaking Bad mas essa é uma das minhas cenas preferidas. Uma das cinco dramáticas mais lindas de séries de tv. Dois atores sensacionais totalmente entregues aos seus personagens. Sou completamente apaixonada pelo Jesse Pinkman e ainda vou fazer um post só sobre ele. ♥ ♡
  
  

Breaking Bad
Quinta Temporada - Episódio 11 
 "Confissões" 

Jesse: Dá pra só uma vez você parar de me enrolar?
Walt: Do que está falando?
Jesse: Dá pra você parar de me enrolar por uns dez segundos seguidos? Parar de me fazer de trouxa?
Walt: Jesse, eu não estou enrolando você. 
Jesse: Está. Você está. Corta esse papo de papai preocupado e me conta logo a verdade. Você fala como se eu sair da cidade fosse só sobre o Jesse virando uma página em branco. Mas na verdade, isso é sobre você. Você precisa que eu vá porque o idiota do seu cunhado nunca vai desistir. Fala logo. Me pede esse favor. Me fala que você não tá nem aí pra mim e que é simples assim...É isso aqui ou você vai me matar do mesmo jeito que você matou o Mike. Agora me diz, esse papo aqui não é sobre isso? Hã? Nós dois aqui, num encontro no meio do nada? E no caso de eu dizer não? Anda, me fala que você precisa disso.


quarta-feira, 15 de junho de 2016

Saudações Vulcanas \\// 2016

Oi, Pessoas!!!

Essa tem sido para mim a melhor temporada de Game of Thrones. Tanto que resolvi começar a falar sobre a série. Assisto desde o início pois ela começou no primeiro hiato de The Walking Dead e gostei de cara, mas seus altos e baixos me fizeram não pensar em comentá-la. Muita coisa em GoT me desagrada como a apelação sexual com exposição exagerada do corpo feminino mas isso tem se reduzido vertiginosamente o que me deixa muito feliz. 



Bom, agora chega de blablablá e vejamos a imagem que representa o lindo e digno sacrifício de Hodor e Verão no quinto episódio dessa temporada. Achei esse lindo desenho na página Game of Thrones Brasil. Coisa mais lindinha, doce e meiga. Como não amar essas duas criaturinhas valentes e amorosas? Alguém sabe quem desenhou? Gostaria muito de dar os devidos créditos...    


domingo, 12 de junho de 2016

Filme: Casa Comigo?

Título Original: Leap Year
Ano: 2010
Duração: 100min
Direção: Anand Tucker
Gênero: Comédia Romântica
Elenco: Matthew Goode, Amy Adams, Adam Scott, ...






Oi, Pessoas!!!

Antes de tudo...
FELIZ  DIA  DOS  NAMORADOS!!! 


Já comecei esse post umas trocentas vezes ao longo desses 5 anos... hahaha Não sei o que acontece. A verdade é que alguns filmes que eu aaaaaaaamo além da conta, me dão um enorme bloqueio na hora de escrever sobre... hahaha Vai entender!!! Mas hoje vai sair... 

Bora lá, comentar!




O filme conta a história de Anna e Declan. Anna é uma espécie de decoradora de ambientes, na casa dos trinta que é de Boston e está em um relacionamento de quatro anos com o cardiologista Jeremy. Acontece que mesmo eles estando comprando um apartamento juntos, Jeremy ainda não a pediu em casamento. 


Jeremy vai passar alguns dias na Irlanda participando de um congresso na cidade de Dublin. Conhecendo a tradição irlandesa de que uma mulher pode pedir um homem em casamento no dia 29 de fevereiro, Anna parte para Dublin decidida a resolver sua situação com Jeremy. 


A viagem se revela um grande desastre já no voo para Dublin quando o avião enfrenta uma tempestade e é obrigado a desviar seu curso para o País de Gales. Chateada Anna pega uma pequena embarcação e vai por mar para a Irlanda. O mar está revolto e ela termina sendo deixada em uma praia na cidade de Dingle.




Chegando a uma espécie de bar que também é ponto de táxi e pousada, Anna conhece Declan. Declan é o proprietário do estabelecimento. Um cara mal-humorado, cético e descrente do amor que se oferece para levá-la a Dublin em troca de quinhentos euros. 





Os dois seguem viagem na manhã do dia seguinte e todo tipo de coisa acontece postergando a chegada de Anna em Dublin. Enquanto a viagem se prolonga os dois vão se conhecendo e nós aos dois. É muito legal saber o porquê de cada um ser como é. Adoro essas cenas dos filmes. Aqui, temos excelentes cenas... seus melhores coadjuvantes são a mala "Louis" e o carrinho do Declan a Renaul 4l... mas os frequentadores do bar também são impagáveis... riso garantido.   



O filme é maravilhoso! Tem de tudo - castelo, roubo, drama, culinária, lendas... Além disso, os dois têm uma química maravilhosa, as paisagens são divinas, a trilha sonora é fabulosa e eu amo a história. 



Recomendo muuuuuuuuito! Se você não tem planos para o dia dos Namorados, sugiro que fique em casa e aproveite essa delícia de filme com o seu amor...      


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...